domingo, 17 de fevereiro de 2019

EDUCAÇÃO INFANTIL



Você já reparou como um bebê vem ao mundo se comparado com outras espécies de vida?

Dependente. Frágil. Completamente incapaz de fazer qualquer coisa por si-mesmo.

O significado disto é que nossa capacidade de desenvolver habilidades é lenta e precisa de estímulos, por mais incrível que seja o potencial da criança de aprendizado se comparado ao adulto.

Isto significa que, pela capacidade lenta de entendimento das coisas mais básicas, como comer ou dormir, imagine então o entendimento de emoções. Conhecimentos gerais, técnicos, religiosos ou políticos.. E por fim, funcionamentos sociais como ética, moral ou hierarquias.

Na base das idades, crianças são incapazes de entender certo ou errado ou que são seus pais quem mandam. O "aprendizado tradicional" delas disso provém através do medo e do reforço negativo, no momento que, após o pequeno fazer algo errado, seus pais o corrigem de forma bruta. Não, ela não está aprendendo que é errado, que dirá entendendo. Está apenas sobrevivendo - se preservando através do medo. Não preciso dizer que o movimento mais comum depois de episódios como esses é o choro.

O aprendizado infantil do respeito aos mais velhos, ao próximo e à sociedade só vem produtivamente através do diálogo. Sim, bem mais difícil que um grito ou uma palmada.

Mas realmente eficaz. Cientificamente.

Além de explicar o motivo das coisas para as crianças, ainda devemos "traduzi-lo" para sua idade cognitiva - isso é um tanto quanto difícil e a maior parte dos adultos não o quer fazer. Está preocupado com o trabalho ou quer descansar quando está em casa. Só que são detalhes como estes que no futuro irão formar uma pessoa inteligente e saudável ou alguém inseguro e com problemas emocionais.

Cuidado em como você trata seus filhos. O que acontece na infância é a base de toda vida.

Ódio, tristeza ou medo, certamente não formarão bons resultados.

Psicólogo Jean Fernandes, contato: (54) 99171 9492

#saude
#saudemental
#bemestar
#psicologia
#psicoterapia
#conhecimento
#psicologojeanfernandes
#caxiasdosul

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

POR QUE IR AO PSICÓLOGO NO INÍCIO DO ANO?



O tradicional rito que chamamos de Réveillon possui um detalhe significativo em sua simbologia moderna.

Renovação.

De alguma forma, a troca de ano nos impulsona a agir. Queremos arregaçar as mangas e tirar todas as teias de aranha que ainda sujam nossa vida. Iluminar nossas escuridões. Resolver aqueles problemas que em meses ou até anos, deixamos lá, parados, como uma xícara por lavar.

Falei sobre ir ao psicólogo, o profissional que lida com questões relacionadas à mente - que de alguma forma, acaba ficando ligado interdependentemente à qualquer assunto que seja. Dinheiro, relacionamentos, doenças fisiológicas, luto, enfim...qualquer coisa pode ser trazida pelo paciente e ambos devem fazer um trabalho conjunto para que a paz e a resolução seja alcançada. 
Mas isto pode ser difícil - falar de nós mesmos e nossos segredos não é cultural de nosso povo. Quanto mais entendermos e controlarmos nossas emoções, cognições e ações. É preciso aprender. Praticar.

Então? Gostaria de fazer uma boa limpeza em sua vida? Tirar tudo aquilo que não lhe agrada? Encontrar paz e combustível para a trilha de teus sonhos e objetivos?

Aproveite a coragem que a virada de ano lhe dá. Ela é única.

Logo, desaparecerá.

Psicólogo Jean Fernandes, contato: (54) 99171 9492

#saude
#saudemental
#bemestar
#psicologia
#psicoterapia
#conhecimento
#psicologojeanfernandes
#caxiasdosul

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

LEIA NO INÍCIO DE 2019


Às vezes presencio um tipo de cena cômica e comum em minha cidade: homens idosos ou em alguns casos, de meia idade, dirigindo camionetes gigantescas e caras, como carruagens nobres em meio à plebe urbana de trabalhadores, andarilhos e estudantes. 

Em grande parte dos casos, revestidos por roupas caras, juntamente com uma camada visível de gordura subcutânea abdominal. Ou mesmo, visceral – pessoas magras de aparência, mas que carregam por dentro de seus corpos, tantos ou mais problemas que um obeso de aparência.

Qualquer conhecedor da filosofia cristã interpretaria um caso destes fácil: o pecado da gula (intercalado com alguns outros como orgulho e avareza, talvez) em sua melhor representação – a gula que nem sempre está atrelada à comida, mas aos excessos, apontam os antigos pensadores cristãos.

E isto ainda retrata apenas um pré-conceito: não se sabe o que ainda mais lá pode estar. Dando um palpite mesquinho atrelado à ciência, talvez pressão alta, vícios, estresse, problemas emocionais, colesterol, dificuldade para caminhar...como se todos os dias que estes homens levantassem da cama, carregassem em suas próprias costas, tudo aquilo que têm, tendo então que prover uma odisseia para chegarem ao banheiro e escovarem seus dentes em suas pias automatizadas e de material caro.

Ninguém lhes tira a moral como boas ou más pessoas: talvez possam ser as mais agradáveis e benevolentes do mundo.

Porém, suas filosofias de vida acabaram fazendo, inconscientemente ou não, que fossem as piores pessoas, não para mim ou você que lê, mas para a pior pessoa do qual poderiam assim agir: eles próprios.

Casos individuais e talvez isolados como estes, nem são os que mais assustam e sim como algumas culturas os enxergam: bem-sucedidos, exemplos de determinação e liderança, referências das quais tantos querem ser como tal. Eles se tornaram o símbolo ilusório de felicidade e estabilidade dos tempos caóticos e líquidos atuais, como se todos aqueles que a este nível chegam, acabam por se tornarem deuses louvados por todos, com poderes burocráticos inimagináveis.

E o que é pior: isto não deixa de ser verdade.

No entanto, quem parece ter certa noção do que a vida representa e do valor que devemos dar à ela, já percebeu que talvez estas pessoas não sejam tão bem-sucedidas assim; mais do que isto – que são pessoas que estão em uma autêntica ladeira rumo à própria destruição, caso não mudem sua forma de viver.

É difícil conciliar todos os pontos da vida. Profissional, pessoal, social...eu até compreendo.

Porém, creio que este dito sucesso começa pelo mais sagrado bem humano: o corpo.

Somos aquilo que agimos, que pensamos, que comemos, que sonhamos...e se não tivermos uma "máquina" forte e robusta para enfrentar a caótica vida urbana, as possibilidades de fracasso são grandes – e não, não falo de fracasso profissional. É lá dentro, inclusive, que se localiza o combustível disto tudo – nossa mente, alma, espírito. Se tudo isto não for cuidado da forma que realmente merece, tudo que passamos e lutamos entra no rumo do em vão – tanta determinação para aos meus cinquenta anos, terminar tudo em um hospital, deixando minha família aos ventos. 

Refletamos sobre o que devemos priorizar nesta vida. Cinquenta foi só uma figura, mas pode ser quarenta, trinta...tudo depende de quanto valor damos a nós mesmos.

E não falo apenas de alimentação, exercícios, terapias ou descanso. Falo também de amor e de paz. De que as dezesseis horas em média que passamos acordados durante um dia, não carreguemos um piano, mas um sorriso – um sorriso que aponta como me sinto com meu corpo, meu trabalho, meu espírito. Minha vida.

Talvez você não precise de tanto assim, no quesito material. Independente, jamais deixe de cuidar dele – teu corpo, onde reside tua mente. Aqueles que fazem tudo acontecer.

Todos os dias. Todas as horas.

No final, ainda que não se tornes um símbolo de sucesso ao mundo, satisfará quem mais tu precisa para sentir que tudo valeu a pena:

Tu próprio. Bom início de ano.

Psicólogo Jean Fernandes, contato: (54) 99171 9492

#saude
#saudemental
#bemestar
#psicologia
#psicoterapia
#conhecimento
#psicologojeanfernandes
#caixasdosul

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

MEDITAÇÕES II - 2019, LIVROS E A HUMANIDADE


Não se enganem com seu símbolo mais popular - pilhas de papel encadeadas por capas. Minha reflexão não se restringe unicamente a eles, como alguns idealistas têm divagado por aí.

Falo de informação. Mais importante ainda: comunicação - o processo de que determinada informação seja levada de uma mente humana para outra. E com isso se crie algo que não consigo definir em palavras.

Mas que para mim é algo como o sentido da vida. O combustível da humanidade.

Se existe uma crença minha inabalável é que toda a energia dos acontecimentos humanos provém disto que defini até agora. Gosto de usar a palavra "conhecimento" para descrevê-la, embora os livros lhe deem uma certa beleza artística. No entanto, a magia está longe de acontecer totalmente no papel ou não sei, na tela do celular ou do computador. É mais profundo. Bem mais.

Dentro. Nas mágicas que nosso corpo humano faz, entrelaçando física, pensamentos, emoções e espírito - chame tudo isto que estou falando exatamente como preferir.

Minha mensagem de Ano Novo é nada além disso: ao lugar de discursos positivistas, agradecimentos e etecetera, deixo esta tarefa para os outros. Quero que voltemos a dar valor ao conhecimento e sua expansão e que entendamos que sem ele, tão pouco podemos ser. Não podemos permitir que ninguém reduza sua propagação a algo secundário, colocando outras coisas como mais importantes.

Conhecimento constrói. Conhecimento faz acontecer. Conhecimento rege nossa essência humana.

Não importa se provém do papel. Da tecnologia. Do espírito. Letras. Vídeos. Real ou virtual. Não importa - está em todo lugar. Depende de sua capacidade de absorver. Refletir. Recriar.

Demos valor ao conceito humano raiz de tudo o que acontece.
Feliz Ano Novo. Que seu conhecimento se expanda.
Você não precisa de nada mais, acredite.

Psicólogo Jean Fernandes, contato: (54) 99171 9492

#saude
#saudemental
#bemestar
#psicologia
#psicoterapia
#conhecimento
#psicologojeanfernandes
#caxiasdosul

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

A ERA DA SOCIOPATIA


Um dos elementos mais populares da cultura pop, o Transtorno de Personalidade Antissocial vem se manifestando cada vez mais em nosso território.

A doença, muitas vezes incompreendida e outras, perigosa, acabou por se tornar mais vigente aos nossos olhos, dada a realidade cultural atual, sedada pelo ódio, senso de superioridade e diferença.

Falando um pouco dela, diferente do que se popularmente acredita, o doente nem sempre é uma pessoa violenta com desejos homicidas - na verdade, eu poderia dizer que este nível é um tanto quanto raro. A psicopatia ou sociopatia, seu nome popular, se caracteriza pela confusa atividade cerebral nas regiões responsáveis pelas emoções, induzindo comportamentos peculiares.

A maioria dos sociopatas pratica um estilo de vida egoísta, às vezes manipulador e completamente sem noção de empatia humana. Justamente por isto que normalmente não se tratam de homicidas com máscaras e sim pessoas que detém uma conduta da qual não conseguem compreender suas emoções próprias, não conseguindo assim ver o outro ser humano com igualdade. Tudo se baseia em seus desejos, por mais primitivos que sejam e por mais que tenham que ser imorais para consegui-los.

Não há cura documentada para a doença. E o nível de portadores pode ser maior do que imaginamos, podendo estarem simplesmente ao nosso lado.

Fiquemos alertas com pessoas que declamam discursos de ódio ou mesmo, agem.

Psicólogo Jean Fernandes, contato: (54) 99171 9492

#saude
#saudemental
#bemestar
#psicologia
#psicoterapia
#conhecimento
#psicologojeanfernandes
#caxiasdosul

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

O QUE É DEPRESSÃO? COMO CURAR?


Este texto é uma singela homenagem aos meus colegas criadores de conteúdo - juntamente com a tentativa de expressar às pessoas leigas uma visão pertinente desta doença, tão comentada nos dias atuais.

A verdade é que depressão é...bem, não se sabe de forma consensual exatamente do que se trata.

Nos guias médicos de doenças, existem cerca de cinco tipos de doenças que utilizam o termo "depressão". No entanto, às vezes a palavra está no título, - normalmente acompanhado de "Transtorno" - às vezes nos sintomas de outra doença - hipotireoidismo e epilepsia - por exemplo. Acaba ficando difícil chegar à uma visão geral.

Também há quem diga que a Depressão é uma forma de loucura.

A psicanálise se utilizava do termo "Melancolia" para se redigir ao que hoje chama de Depressão, definindo ela de forma filosófica schopenhaueriana como "ver a vida exatamente como ela é". Para estes psicanalistas, o que nos impede de sermos "depressivos" é justamente nossa capacidade de sonhar e fantasiar - imaginar coisas que estão aquém da realidade de nossos sentidos. Sem isso, seríamos loucos, depressivos e melancólicos.

O curioso é que algumas pessoas do meio da informação expressam algo tão difícil, com a maior facilidade do mundo.

Psiquiatras, psicólogos e psicanalistas e até mesmo outras profissões, como jornalismo e coaching, buscam ceder esta informação ao povo e fazem de forma generalista, simples e matemática - como uma operação de soma.

Mas então como saber o que é Depressão?

A única forma de entender este conceito é você e seu terapeuta fazendo um trabalho conjunto. Sozinho ou para seu amigo, você não irá encontrar mais do que uma informação generalista - que dificilmente se aplica ou se define ao indivíduo que você busca. Cada um de nós se torna depressivo de uma forma - com seus próprios e singulares sintomas. Desnecessário buscar informações ou mesmo soluções mirabolantes.

Faça terapia e, um dia, torcendo para que não, talvez você aprenda o que é depressão.

Sua depressão.

Psicólogo Jean Fernandes, contato: (54) 99171 9492

#saude
#saudemental
#bemestar
#psicologia
#psicoterapia
#conhecimento
#psicologojeanfernandes
#caxiasdosul

domingo, 27 de janeiro de 2019

MEDITAÇÕES I



Neste período onde tanta informação circula, em de meus primeiros momentos do dia, uma delas vem até mim, despertando um momento de reflexão.

Tratava-se de questionamentos sobre interpretações bíblicas, sobre o que é verdade ou não é, etecetera e etecetera.

Meu primeiro movimento foi analisar se aquele texto havia de ter alguma veracidade. Interessado pelo assunto e estudante que sou, comecei então a ler e questioná-lo, da mesma forma que sua própria temática. Quando terminei, ainda que pudesse ter observado pertinências e erros, a grande conclusão havia de ter chegado em minha mente.

Primeiro sobre meu passado, quando fazia práticas exatamente como aquelas ali e que, no final das contas, não me levariam a lugar nenhum - de início.

Por sorte, percebi que sim, havia uma forma de fazer com que estas leituras tivessem proveito em minha vida. Algo que talvez pareça confuso assim falando, mas extremamente simples.

O segredo é apenas um: receber a comunicação.

Às vezes, principalmente em assuntos polêmicos como política e religião, nosso senso crítico acaba virando um cavalo indomável perante certas informações. Depois de tanto este estilo de vida sugar meu esforço, aprendi que por trás de cada expressão que alguém cria, há um ser humano com uma intenção. Pode ser saudável, doente, não importa. Mas o melhor mesmo é tentar entendê-la e depois compreender o porquê foi escrita. Ainda que eu discorde de tudo.

Tudo isto me trouxe paz. Hoje consigo ler sobre a maioria dos assuntos, transitando tranquilamente entre o que concordo e discordo. De emotivo ou intelectual, passou a se tornar divertido.

E você? Que tal caminhar comigo em lugares da mente que não conheces? Ou que apenas achas que realmente conhece?

Vamos juntos na Jornada da Alma. Minha profissão.

Psicólogo Jean Fernandes, (54) 99171 9492

#saude
#saudemental
#bemestar
#psicologia
#psicoterapia
#conhecimento
#psicologojeanfernandes
#caxiasdosul